domingo, 31 de julho de 2016

Obrigada


terça-feira, 26 de julho de 2016

Sei que me lês e também sabes que te leio mas o meu e o teu orgulho impede-nos de nos encararmos e

sentarmo-nos a conversar, falar de tudo o que nos apoquenta de tentarmos pelo menos reconciliar as diferenças.
Não estamos nem certas e nem erradas apenas somos ou muito diferentes ou demasiado iguais ambas combatemos demónios invisíveis que nos dilaceram a alma ambas choramos em silencio a nossa dor e frustração de não sabermos entender e nem sermos entendidas ansiamos uma pela outra mas o orgulho estupido trava-nos os passos e cerra-nos os lábios impedindo-nos assim de irmos ao encontro uma da outra e falarmos sobre tudo o que nos apoquenta sobre o quê dos porquês eu tento a ti chegar eu grito mas a minha voz fica perdida no silencio do tempo e do vento que me emudece.
As lágrimas caiem no meu regaço que um dia te embalou os meus braços esticam-se para te abraçar mas apenas encontram o vazio doloroso da separação

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Esta manhã pensei em ti e chorei

Estava na cozinha sentada junto á bancada a comer a minha torrada com queijo e manteiga e a beber a minha gigantesca caneca de café com leite quando tu entraste pelo meu pensamento adentro e chorei por tudo quanto se passou e chorei por ti porque apesar de tudo o que se passou eu sempre quis o teu bem embora o meu comportamento para contigo não tenha sido o dos melhores foi nesse momento que me apercebi que eu descarreguei em cima de ti toda a minha magoa e toda a minha frustração pela falta de justiça para comigo e todas as outras pessoas que em crianças tal como eu sofreram horrores ainda piores do que os meus de certa forma tu também sofreste horrores pois o excesso de zelo e de protecção parental/familiar torna-se incapacitante para a criança tirando-lhe até a identidade e o amor próprio escutei dentro do meu pensamento as palavras que tu por vezes dizias [ penso que seja melhor que eu nunca tenha sido pai para que nunca um filho meu nascesse como eu/]

Tu terias sido um pai maravilhoso porque não é o transtorno neurológico que tens e com qual nasceste e tens vivido sempre que te iria definir como pai mas sim esse teu enorme coração e a tua índole o teu carácter pena foi tu teres sido mal encaminhado na vida e teres dado ouvidos a quem nunca devias ter dado e acreditares que eras menos do que o que realmente és
Apesar de tudo eu quero que tu sejas feliz
A nossa amizades ficou quebrada para sempre mas o sentimento esse sempre existirá até que o último sopro de vida saída de dentro das minhas narinas.


Dedicado a RCLM



quarta-feira, 27 de abril de 2016

Mais uma tentativa falhada

Ontem voltei a pegar na minha bicletae fui com ela pela mão até ao outro lado do rio tentar pedalar é claro que foi mais uma tentativa falhada e frustrada porque eu consegui montar em cima da bicicleta mas não consegui pedalar, fui acometida pelo pânico, um pânico que eu não sou capaz de explicar...voltei para casa chorando como uma criança de 10 anos que não ganhou a corrida de saco.
Creio que só me resta tentar vender a bicicleta já que não me estou a ver alguma vez a conseguir pedalar 

terça-feira, 26 de abril de 2016

Não sei nem sequer o que pensar...


Em 2000 travei conhecimento com o meu primeiro "amigo" virtual, foi num web site chamado Olá Portugal ou coisa parecida já lá vão 16 anos e eu já não me consigo lembrar do nome sei que era um web site português e enfim o meu cérebro nunca foi lá grande coisa e o meu comportamento também deixava muito a desejar, enfim... conheci então o tal "amigo" uma pessoa ainda mais desequilibrada emocionalmente do que eu, alem de ter o infortúnio de sofrer de epilepsia também devia ter uma ligeira deficiência mental e eu não lhe ficava atrás claro, eu era como aqueles cães que quando ao fim de anos e anos de viverem presos a uma coleira , açaime e corrente são soltos e correm que nem loucos para todo o lado esbarrando em tudo e em todos, pois também eu tinha ou estava a começar a libertar-me de uma vida de opressão e abuso, que me deixou mazelas para todo o sempre e pior do que isso me tornou também a mim numa pessoa controladora e abusiva, brinquei com o rapaz sem nunca pensar que estaria causando sofrimento a alguém pois que para mim tudo não passava de uma brincadeira o rapaz veio até ao sitio onde eu vivia e acabamos por nos conhecer, lembro-me que logo naquele dia eu não só o achei um pouco estranho mas também assustado, lá lhe expliquei que tudo não tinha passado de uma brincadeira e que eu não poderia nunca ter nada com ele porque afinal de contas eu tinha alguém na minha vida e tinha família constituída, é claro que isso não serviu de consolo ao meu pobre pretendente. cada um de nós seguiu o seu rumo e ele lá voltou ao seu local de residência. entretanto as coisas foram se alterando como já vinha a acontecer desde o dia que eu tinha conseguido aquele emprego numa grande empresa filiada com uma multinacional alemã que me permitiu meter os papeis ao banco para um empréstimo habitacional, em 2001 o meu companheiro abusivo e controlador finalmente fez as malas e saiu de minha casa, eu nem podia acreditar que era finalmente livre!!! pelo menos foi o que eu pensei porque logo de seguida veio a instabilidade financeira de novo, entretanto conheço outro "amigo virtual" desta vez pelo chat do MSN por meio de uma amiga de um amigo não sei já como foi que tudo aconteceu mas o que é certo é que eu e esse "amigo" acabamos por nos casar um com outro e eu fui viver para a Suíça, escusado será dizer que foi a maior asneira a somar ás já tantas outras asneiras que eu fiz.
Nem é preciso explicar que o tal casamento nunca resultou e nem poderia resultar pois éramos dois estranhos e que ainda por cima nada tínhamos em comum um com o outro.
eu regresso ao meu país de Origem em final de 2004 ou seja na véspera de Natal de 2004, entretanto eu nunca perdi o contacto com o primeiro "amigo" que conheci via Internet, continuamos a nos falar e ele sempre me fazendo grandes declarações de amor, e eu ao invés de o desenganar e manda-lo à vidinha dele , não! eu ainda lhe alimentava as esperanças o que foi super errado da minha parte.
entretanto depois de ficar divorciada em 2005 pensei em dar uma chance àquele relacionamento estranho e ver no que iria dar e o rapaz ( já ambos com 40s e tais anos mas o juízo continuava a ser escasso) veio para minha casa, estava na cara que aquilo iria ser catastrófico no mínimo e foi! o moço era frágil e tinha pouco apetite para trabalhar apesar dos cursos que tinha feito pelo IFP ele não tinha aptidão para nada segundo as própria palavras dele ele só queria era ir trabalhar para o corpo de bombeiros mas não queria ser maqueiro e nem ir apagar fogos, queria ficar na recepção só que infelizmente para ele aquele lugar já estava preenchido há muito tempo e já havia uma fila enorme de candidatos à espera que o funcionário se reformá-se ou fosse despedido e assim poderem ter a chance de virem a ocupar o seu lugar, o rapaz não ficou nada contente por ter de contribuir para a renda de casa e demais despesas e claro procurou maneira de se ir embora ou então e eu só agora me lembrei disto, tentou de alguma forma fazer algum tipo de chantagem emocional comigo (mas enfim, eu não tenho a certeza) é claro que não resultou e eu convidei-o a sair de minha casa e terminei com aquela situação de uma vez por todas  é claro que eu sempre me preocupei com ele e sempre lhe desejei o melhor e continuo a desejar é claro.
enfim eu não sei porque carga de água no ano passado (20015) ele pergunta-me se eu me lembrava do dinheiro que ele me tinha emprestado e eu lembrava sim que ele me tinha emprestado 60 e tal euros ou coisa no género mas que eu lhe tinha pago antes de me vir embora para Inglaterra. bom ele iniciou por me perguntar se eu lhe podia pagar eu disse-lhe que ia tentar uma forma de lhe enviar algum dinheiro por mês aos poucos mas que o por muito pouco que fosse fosse na sua quase totalidade para ele e eu não tivesse que pagar altíssimos juros de taxa de cambio ou lá o que é.
um dia de repente sem mais nem menos ele me diz que eu lhe devia 360 euros!!! fiquei abananada perguntei-lhe se ele tinha a certeza de que tinha sido a mim que ele tinha emprestado tal quantia? afirmou que sim que tinha eu não tenho a mais ínfima memória de ele alguma vez me ter emprestado tal quantia mas disse-lhe está bem eu vou tentar te pagar mas avisei-o que iria demorar bastante tempo pois eu não estava e nem estou em boa situação financeira, começou por me enviar emails em tons ameaçadores e até um pouco digamos que agrestes para dizer o mínimo depois de eu lhe enviar a primeira quantia ele enviou-me um email a dizer que tinha recebido mas que não tinha ficado nada satisfeito que estava a contar com um valor muito maior que aquele e que precisava de concertar a motorizada e que estava desempregado etc etc, e mais uma vez as ameaças veladas ou camufladas como se lhes queira chamar, irritei-me e não mais lhe falei e nem voltei a enviar mais nada, esta manhã quando me levanto e pego no meu telemóvel reparo que tinha o Skype a piscar com várias mensagens ou notificações de mensagem, e vejo o nome dele e de outra pessoa onde essa outra pessoa me dirige inúmeros insultos e calunias além de ameaças claro a exigir que eu pague o que devo ao namorado dela, e depois vejo as mensagens também desse "amigo"/ex parceiro também a ameaçar-me mas desta a ameaçar-me com a "namorada"
as conversas se é que pode dar esse nome a tal verborreia, ficaram registadas no meu dispositivo móvel e ambos os intervenientes foram bloqueados e denunciados e deixo aqui o aviso ao Sr. Rui Mota que se me continuar a perseguir este caso vai então a tribunal.









segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Cabelos e cabeleiras postiças é tudo uma questão de gosto

Como sabem principalmente as pessoas que me conhecem e com quem confidencio eu tenho ao longo do tempo vindo a sofrer grave queda de cabelo o nosso cabelo se não for bem tratado desde o nosso nascimento trazer-nos-á consequências futuras sendo uma delas a queda e eu não fui imune a essa consequência tenho vindo ao longo dos anos a perder o meu cabelo, eu nasci com cabelo encaracolado e como todos sabem e principalmente quem tem cabelos encaracolados o quanto é difícil cuidar deles  e o quanto são sensíveis e se o cabelo for tratado a puxões e químicos então os resultados serão infelizmente a queda originando em calvície, o meu cabelo nunca foi bonito porque primeiro eu nunca fui amante de salões de cabeleireiro pela razão de os poucos salões de cabeleireiro que eu frequentei em toda a minha vida não terem respeitado o que eu lhes pedia como cliente e sim terem se divertido em fazer experiências com o meu cabelo e isso levou a que eu nunca mais frequentá-se um salão de cabeleiro e então aqui na Inglaterra é que eu de maneira nenhum ponho os pés dentro de um salão de cabeleireiro mas isso também nunca impediu que eu própria não destruísse o meu próprio cabelo com os químicos das tintas baratas e mesmo caras que seja químicos serão sempre químicos e serão sempre perniciosos  resolvi então experimentar perucas.
O que me veio trazer ainda mais dilemas, os preços que são altíssimos no caso de querer usar uma peruca de cabelo humano e de boa qualidade e eu jamais tive a capacidade financeira de adquirir uma dessas optei então por perucas mais baratas e sintéticas a primeira peruca que comprei foi na Inglaterra em Bolton, com a minha sobrinha que entrou na loja para comprar uma peruca para oferecer à mãe e eu vi esta peruca lindíssima e com um aspeto realístico 

esta foi a primeira e de facto ninguém percebeu que se tratava de uma peruca pois além de ter um efeito muito realística era também ligeiramente idêntica ao meu próprio cabelo e de todas as cabeleiras postiças que eu actualmente possuo esta é a unica que veio com ganchos incorporados com que eu posso prender no meu próprio cabelo e assim correr menos risco de a cabeleira me voar da cabeça em dias de vento.
 
 Mas depois eu quis cabelos lisos e então comprei uma peruca de cabelo liso

Com tempo o meu cabelo foi ficando cada vez mais escasso não era apenas um problema de maus tratos e danos causados com químicos era também um problema genético pois a minha mãe também tinha o mesmo problema segundo eu pude constatar pelas poucas fotografias que vi dela aos quarenta e poucos anos ela estava já semi calva e com os cabelos completamente grisalhos
então eu decidi perpetrar mais um ataque aos meus pobres fiapos de cabelo e pintar de loiro o que me fica horrivelmente mal.

 comprei então uma peruca loira com nuances





E é de facto lindíssima.
mas outro dilema se apresentou devido à minha actual profissão eu não posso usar cabelo comprido, bom poder eu posso mas tenho que o ter amarrado e pronto eu entro logo em pânico e começo a pensar ai se a peruca me cai ao chão e outros pensamentos do genero
opto então por usar apenas o meu cabelo que é diga-se de passagem, horroroso....
  
as ultimas aquisições foram estas
 a que aparece á direita é de facto muito linda e tem nuances mas infelizmente tem um péssimo acabamento, a do meio é maravilhosa e assenta-me mesmo bem, e hoje 19/10/2015 recebi a ultima que comprei ao mesmo fornecedor das outras duas e é maravilhosamente linda as três custaram-me juntas o preço de uma numa loja de perucas baratas
para quem tiver interesse 
podem visitar o web site
http://css.sammydress.com/imagecache/S/images/domeimg/logo.gifbasta clicar aqui*
*Observação: o web site que eu estou a indicar não me paga ou sequer pagou para que eu o menciona-se neste meu blog ou em qualquer outro blog que eu escreva, apenas cito o web site em questão porque foi através dele que eu comprei as minhas três ultimas cabeleiras postiças, as que figuram na ultima imagem

domingo, 11 de outubro de 2015

Passos, passinhos e passadas...

Quando se dá um passo em frente continua-se em frente porque dar um passo atrás é como regredir 
E sendo eu mais teimosa que uma mula desencabrestada é mais do que evidente que eu continuarei a dar passos em frente e nunca para trás o mais que poderei fazer é parar um pouco para retomar o fôlego ou descansar mas voltar atrás é que não é enquanto eu tiver forças eu vou continuar a dar passos em frente mesmo sem saber ao certo aonde e nem quando vou chegar