domingo, 27 de abril de 2014

Lá bem no meio

É uma ilha enorme e em forma de funil e eu vejo-me lá no fundo do funil enquanto que os rebordos do funil se vão fechando e vou sendo empurrada cada vez mais para o fundo no entanto estico as minhas pernas com toda a força que ainda me resta e consigo virar o funil e saio pela ponta apenas com algumas mazelas. 
E é assim como me vejo a maior parte do tempo, num interminável campo de batalha onde tenho que lutar pela minha vida todos os dias e é mesmo isso que é a minha vida, uma luta constante e diária. Eu não entendo ninguém mas também ninguém e entende

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Choveu pedregulhos

Aaaaaaaaaaaarrrrrrghhhghhhghhg

Finalmente, consigo perceber quando dizem que sorriem mesmo quando a vontade é chorar

Bom; eu sempre entendi na segunda pessoa mas nunca tinha experienciado em mim (1a pessoa) 
E foi hoje, quando dei o meu mais esfuziante sorriso (um quase riso) que entendi na perfeição tal dizer, porque de facto, eu dei um sorriso rasgado e esfuziante mas a minha única vontade era gritar e chorar de raiva e frustração e ao mesmo tempo de culpa. Se alguma vez eu tive ( ou quem quer que seja)  alguma dúvida quanto ao meu individualismo hoje mais do que nunca essa dúvida (se alguma vez existiu) fica definitivamente dissolvida. Eu não sei viver e nem conviver com outras pessoas por muito que possa amar e ou ser ligada a essa ou essas pessoas.

Educação e Respeito, um longo caminho a percorrer

Um dia qualquer, quando passeava os olhos pela página inicial do Facebook li no status de alguém a referência a outro alguém que estaria com baixa médica por doença do foro neuro emocional, se assim se pode dizer ( depressão ) e abaixo nos comentários duas criaturas não poupavam apupos á pessoa doente e ao país de origem da pessoa quiçá, de todas as pessoas desse mesmo país acrescentando ainda que as pessoas sofredoras dessa mesma doença (depressão ) que deveriam viver lá naquele país para verem o que é bom para a tosse, acontece que eu vivi naquele país e segundo ouvi e li em diversa fontes informativas, aquele seria um dos países da Europa com uma das maiores taxas de suicídio devido a essa mesma doença chamada depressão sublinho também que essas duas jovens  pessoas uma é filha da autora da publicação e a outra é irmã da doente citada na publicação.  Mal educadas e desinformadas, faço também aqui referência que a boa ou má educação nem sempre tem a ver com a educação que nos é dada pelos nossos país ou educadores ela é fortemente baseada também no nosso carácter e esse já nasce conosco.