domingo, 27 de abril de 2014

Lá bem no meio

É uma ilha enorme e em forma de funil e eu vejo-me lá no fundo do funil enquanto que os rebordos do funil se vão fechando e vou sendo empurrada cada vez mais para o fundo no entanto estico as minhas pernas com toda a força que ainda me resta e consigo virar o funil e saio pela ponta apenas com algumas mazelas. 
E é assim como me vejo a maior parte do tempo, num interminável campo de batalha onde tenho que lutar pela minha vida todos os dias e é mesmo isso que é a minha vida, uma luta constante e diária. Eu não entendo ninguém mas também ninguém e entende

Sem comentários:

Enviar um comentário