domingo, 31 de julho de 2016

Obrigada


terça-feira, 26 de julho de 2016

Sei que me lês e também sabes que te leio mas o meu e o teu orgulho impede-nos de nos encararmos e

sentarmo-nos a conversar, falar de tudo o que nos apoquenta de tentarmos pelo menos reconciliar as diferenças.
Não estamos nem certas e nem erradas apenas somos ou muito diferentes ou demasiado iguais ambas combatemos demónios invisíveis que nos dilaceram a alma ambas choramos em silencio a nossa dor e frustração de não sabermos entender e nem sermos entendidas ansiamos uma pela outra mas o orgulho estupido trava-nos os passos e cerra-nos os lábios impedindo-nos assim de irmos ao encontro uma da outra e falarmos sobre tudo o que nos apoquenta sobre o quê dos porquês eu tento a ti chegar eu grito mas a minha voz fica perdida no silencio do tempo e do vento que me emudece.
As lágrimas caiem no meu regaço que um dia te embalou os meus braços esticam-se para te abraçar mas apenas encontram o vazio doloroso da separação